terça-feira, 21 de dezembro de 2010

Salsa e Cebolinha

                                                      

Resolvi fazer um almoço delicioso sábado para 2 amigas de adolescência. Era como se eu fosse a salsa e elas as cebolinhas. Esta dupla inseparável temperaram minha tarde. Muitas conversas, risos, algumas lágrimas, sonhos compartilhados, desejos e nossa alma. Mulheres cortando ingredientes e as crianças internas vibrando na alquimia. Voltamos no tempo e suspiramos o presente.
A escuta do coração... o breve silêncio que diz muito...
Que bom! A alegria dos encontros prevalece, fiar com... confiar...
Voltando para a salsa e cebolinha tão lindas e conhecidas e super preciosas!!!A cebolinha como a cebola e o alho afastam as doenças do corpo e maus olhados.
No uso medicinal a salsa é uma das fontes mais fantásticas de vitamina C. É excelente para os rins e evita a formação das tão temidas pedras. Além disso acalma os nervos, ajuda a digestão e é uma poderosa fonte de cálcio. Ah! Sua poderosaaa!!! A infusão dela é boa para poros abertos, olhos inchados, acne juvenil e sardas.
Todas as ervas que são boas para os rins melhoram a pele porque são purificadoras do sangue, logo são rejuvenescedoras. E mais uma, ela ajuda a acabar com a celulite!!!  
Desejo muita salsa e cebolinha no coração da casa!!!

segunda-feira, 13 de dezembro de 2010

Madressilva

                                                             

                                                                   

Depois de uma maravilhosa meditação no sábado em um lugar muito especial, uma casinha verde que acolhe corações. Entrei em contato com várias borboletas e uma águia dourada que dizia para eu alçar vôo.
Ontem dia 12/12/2010 dia de Nossa Senhora de Guadalupe, enterrei minha Tartaruga em um vaso que simbolicamente representa o útero materno. Escrevi no casco de uma tartaruga de cerâmica que eu tenho "eu dou consentimento ao amor na Terra". Resolvi colocar minhas mãos nela, e poda daqui e poda dali cheguei na madressilva. Ela estava com um tanto de galhos secos e quando eu a puxei ela saiu com raiz e tudo. A parte verde estava enraizada em outro lugar, mais precisamente num buraquinho da parede!
Achei interessante... na mesma hora que fazemos a morte, algo renasce em nós. Acessamos partes inusitadas... muitas vezes adormecidas.
Senti mais leve e resolvi fazer uma limpeza nos meus e-mails. Diminui a música que estava no som e escutei um barulho no meu quintal. Antes de ver o que era, aumentei a música e vi que era minha gata com um pássaro morto na boca.
Como não acredito em coincidência a música que estava tocando se chamava "Let´s fly ". Uma vez achei a letra desta música na minha garagem!! Não sei como foi parar lá... Esta música para mim é um sinal de que o amor está no ar!!
É... as coisas estão realmente intensas... tartaruga e pássaro trazendo a morte... o renascimento na Terra e no Céu nas esferas do coração... 
Quando plantei esta maravilhosa trepadeira foi com esta intenção.
Suas flores cor de creme, em noites que estamos enluaradas exalam um aroma fascinante. Um aroma que desperta o amor, a ternura, e a afeição. Ela é um símbolo do amor.
Senti seu cheiro e suspirei o amor... ele pode estar ao meu lado... ele pode ainda chegar... ele está em mim... e veio para ficar e estar... compartilhar.  

quarta-feira, 8 de dezembro de 2010

Mãe Terra

                                                       


Depois da última vivência do "Manto do Amor", com aquela que é um Rubi na minha vida, aquilo que estava encoberto foi revelado. O trabalho foi maravilhoso e ele me deu a sustentação para um grande choque que vivi.
Na quinta passada entrando com meu carro na garagem atropelei minha querida Tartaruga. Vivi uma grande dor ao vê-la com o casco quebrado em algumas partes e o sangue saindo dela. Liguei imediatamente para minha amiga Ana que é veterinária, e ela me indicou um veterinário de animais silvestres. Coloquei-a numa bacia e a levei voando para lá.  
O veterinário Leandro ficou muito assustado quando a viu e me disse que a lesão era muito grave. Tirou uma radiografia e por sorte a coluna vertebral dela estava intacta. Me disse também que se ela sobrevivesse até segunda- feira ele faria a cirurgia.
Ela está se recuperando, tem 2 dias que o casco parou de sangrar. E hoje será feita a cirurgia.
Nos ensinamentos dos índios norte-americanos, a Tartaruga é o símbolo mais antigo do planeta Terra; traz a conexão com a Grande Mãe.
E ela se chama Rubi, o rubi é uma pedra ligada ao amor, ela traz a respiração do coração.
Minha amiga da montanha quando soube do caso, me disse que esta Tartaruga se "entregou" para fazer esta cura, ela está dando consentimento ao amor na Terra.
Eu chorei junto com esta Tartaruga, a dor dela estava comigo. Teve momentos que eu era ela. A dor do amor foi expurgada do meu coração. Interessante que todo o movimento emocional que fazia, a Rubi respondia de alguma forma. O trauma foi liberado.
O casco dela é meu xale da Terra... está sendo refeito pelos fios do universo.
O universo fala com a gente o tempo todo. Realmente nada é por acaso.
"Para aqueles que podem ouvir que ouçam."

quarta-feira, 1 de dezembro de 2010

Mel

,                                                 


Aquela que é um Rubi na minha vida me convidou para participar de uma vivência na montanha. O trabalho se chamava " Manto do Amor". Éramos 12 mulheres a bordar cada uma seu manto, cada uma seu amor. Um verdadeiro mergulho para resgatar nossa essência. Acessei uma parte minha que estava tão escondida,  tão encoberta, talvez um tanto fragilizada, mas descobri que estava aí a força.
Numa de minhas jornadas vejo um rosa branca, sinto seu perfume, e uma voz suave fala "-água, água, relembra, recorda, renova, você é água. Começo a girar, misturar com a rosa. Ela se abre e suas pétalas vão se tornando água. Eu vou misturando, mergulhando e sentindo a água. Tudo era rosa, tudo era água.
Antes de ir para a vivência  meu chuveiro tinha queimado mais uma vez. Já era uma chamada de mudança do fogo e da água em mim.
As guardiãs desta vivência eram as abelhas. Meu coração foi  nutrido por este néctar divino. O mel nos convida a sermos guerreiras com doçura e suavidade.

"O mel era valorizado tanto pelo seu aspecto sagrado, quanto por ser nutridor e preservador, como bactericida. Junto com o sal eram os únicos conservantes do mundo antigo e considerados agentes de ressurreição e transmutação. As abelhas eram símbolos do poder feminino da natureza, que criavam este produto doce e mágico e o guardavam em favos com estrutura hexagonal. O hexágono era considerado pela escola Pitagórica uma expressão do espírito de Afrodite (uma dupla deusa tríplice) e as abelhas reverenciadas como criaturas sagradas, que sabiam como formar hexágonos perfeitos."
Como mulheres que cultuam e reverenciam a Deusa, precisamos lembrar e refletir sobre a importância – mítica e mágica – do mel e das abelhas, consagrados à Deusa nas suas várias manifestações das culturas matrifocais. Devemos honrar e invocar as bênçãos da Deusa Abelha com cantos, música, danças, oferendas de mel e orações, pedindo sua clemência para evitar a extinção das suas súditas no planeta Terra.
Para evitar  a extinção do feminino sagrado.